viavarejo.jpg

Movimentação atípica com ações da Via Varejo é investigada na CVM

A valorização atípica nas ações da Via Varejo no dia 21 de dezembro chamou a atenção da CVM (Comissão de Valores Mobiliário), que decidiu abrir um processo para analisar a oscilação.

De acordo com a assessoria de imprensa da comissão, o assunto está sendo analisado no âmbito do processo CVM 19957.009070/2020-12. “A Autarquia não comenta processos em andamento”, diz a nota oficial.

As ações da empresa abriram o pregão do dia 21 de dezembro em baixa de 10,8%, cotadas a R$ 15. No dia anterior, no fechamento da Bolsa de Valores brasileira, os papéis eram cotados a R$ 16,82. Também chamou atenção o fato de ter atingido a mínima de R$ 14,71, valor mais baixo desde junho.

leia: PREÇO DE MÓVEIS NO VAREJO FECHA O ANO COM DEFLAÇÃO, AFIRMA IBGE

Só na primeira meia hora após a abertura das negociações na B3, foram negociadas cerca de 17 mil ações, sendo que normalmente são 2,5 mil papéis nesse início da sessão.

Fabio Bonchristiano, da Íris Investimentos, disse à Folha de S.Paulo que em situações como essa, a Bolsa precisa entender de fato o que está acontecendo e, dependendo da situação, invalidar os negócios praticados. Essas negociações chegaram a ultrapassar os R$ 50 milhões logo no começo do pregão, respondendo por uma porcentagem relevante do total negociado no dia.

empresa

Via Varejo

Via Varejo S.A. é uma empresa de comércio varejista brasileira fundada em 2010, responsável pelas redes de lojas Casas Bahia e Pontofrio.