equipament_mattress.jpg

Custos dos insumos preocupam muito as indústrias de colchões

Apesar da redução nos preços internacionais do TDI na China, pelo menos uma parte importante desta redução foi mitigada em razão do forte reajuste dos fretes internacionais, principalmente no transporte de produtos oriundos da China, observados a partir de meados de 2020. Os preços do frete mais que quintuplicaram nos últimos meses.

Este fato impactou diretamente no custo de transporte e, consequentemente, um de seus efeitos negativos foi o de neutralizar a redução do preço do TDI no mesmo período. Soma-se a essa dramática situação o aumento do dólar e o custo do Poliol – outro componente utilizado na produção de espumas de poliuretano usadas nas indústrias de colchões e estofados – que continua em elevação e com forte tendência de escassez no curto prazo.

Fabricantes de colchões e estofados consultados pela Móveis de Valor consideraram improvável a queda no custo de produção de espumas no médio prazo. Lembraram também que a cadeia de produção de colchões – assim como de estofados – sofre também com a escassez e o aumento no preço de outros componentes, como papelão para embalagens, plásticos, tecido e molas, entre outros.

“O momento é preocupante, pois há um sinal de queda de demanda e por outro lado uma pressão forte da elevação de custos em toda a cadeia produtiva”, destacou um fabricante consultado.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato