workshop.jpg

Designers debatem tendências em Arapongas

Designers reconhecidos nacionalmente estiveram em Arapongas (PR), na último dia 29, para participar de um workshop sobre tendências emergentes para o setor moveleiro em 2019. O evento, promovido pelo Sebrae/PR, reuniu cerca de 130 fabricantes de micros e pequenas empresas do polo moveleiro, além de arquitetos e estudantes. O encontro foi realizado em parceria com o Sindicato das Indústrias de Móveis de Arapongas (Sima) e com o Núcleo de Negócios em Arquitetura (Iarq), e ainda recebeu o apoio do Centro de Eventos Expoara, que sediou o debate.

 

Participaram do evento o italiano Giorgio Rubega, designer de produtos, que já atuou em empresas como Natuzzi; Henrique Stabile, arquiteto, designer e professor do Instituto Europeu de Design de São Paulo; Lauro Andrade Filho, idealizador da feira High Design; e Sibelly Quinalha, especialista em design comercial e marketing para arquitetos. A mesa redonda foi mediada pelo professor do departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Londrina (Uel), Rovenir Bertola Duarte.

 

Rubega considerou o workshop como um meio importante de propagar informações sobre o design conceitual. Durante o bate-papo, ele falou um pouco sobre o trabalho de criação das peças e alertou para a necessidade de ficar atento as mudanças do mercado, novos materiais e tecnologias. “É preciso pensar lá na frente e buscar interpretações diferentes para as variações do dia a dia”, afirmou, apontando que o trabalho de um designer pode contribuir muito com a empresa no longo prazo, ao agregar mais valor aos produtos e melhorar as vendas. “Claro que também é preciso educar as pessoas para o consumo”, acrescentou.

 

Para Sibelly Quinalha, o evento foi importante para incentivar a economia criativa. Ela enfatizou a necessidade de levar informações às empresas sobre o processo para que o design deixe de ser encarado como um gasto e passe a ser visto como investimento. “O principal incentivo para os empresários deve ser o potencial que o trabalho desenvolvido por um design exerce no mercado ao estimular o processo criativo e desenvolver novas linhas de produtos”, argumentou, acrescentando que a parcela de pessoas que têm acesso a soluções de design no Brasil ainda é pequena.

 

O mediador da mesa, professor Duarte, disse que a aproximação entre a indústria e os profissionais do design tende a amadurecer muito o mercado de móveis da região. As empresas, na avaliação dele, já se atentaram da necessidade de buscar parcerias e desenvolver móveis autorais. “Em geral, o brasileiro não tem peças de design em casa. Esse é um mercado com muito potencial”, destacou, contando que tem acompanhado o trabalho de algumas empresas e o esforço delas para superar os desafios da Indústria 4.0. “Esta é uma evolução que demandará muito o design e Arapongas já enxergou isso”, enfatizou.

 

O designer de inovação de uma empresa que fabrica móveis estofados, Jordan Vicentini, disse que o workshop foi um evento marcante para o parque industrial de Arapongas, pois levou informações ricas aos empresários e trabalhadores do chão de fábrica. Ele confirmou que a produção de peças autorais ainda é algo novo para as empresas da região e está sendo introduzida aos poucos. “O Sebrae/PR está ajudando as pequenas e médias empresas a entender que o diferencial pelo design vai ajudá-las a se posicionar melhor no mercado”, apontou.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato