brasilidade.png

Designers usam os materiais para expressar a brasilidade

Em um País de dimensões continentais temos de convir que não existe apenas um estilo que represente todas as culturas que formam a nossa nação, não é mesmo? Dizer que um mobiliário representa a brasilidade não significa que ele tenha uma característica exclusiva e extremamente marcante do nosso País. Porém essa peça pode conter cores, estampas e materiais que caracterizem determinada região, revelando que cada artista pode buscar elementos que referenciem certas culturas ou produções locais. Afinal, o Nordeste e o Sul são dois extremos não só no mapa como na cultura de sua população, por exemplo.

Mesmo sendo regiões bem diferentes uma da outra, o Nordeste e o Sul foram retratados em uma mesma coleção, a Cambito, desenhada por Fabio Melo (designer nordestino) e Gregory Kravchenko (designer gaúcho). A parceria veio por meio de uma amizade que nasceu no ateliê Krav, de Gregory, cujo Fabio era cliente. “Em meio a outras produções que fazemos juntos, percebemos a necessidade de criar peças com materiais diferentes. Por meio de alguns ensaios em conjunto fomos ‘parindo’ a Cambito, em que colocamos as nossas duas culturas”, conta Gregory.

A coleção formada por aparadores, bancos, espelhos, luminárias e candelabros é totalmente comercial e usa a leveza das curvas, as cores da madeira e o brilho do ouro para remeter ao Brasil. “Nós aproveitamos a contemporaneidade para pegar o que tem de melhor para fazer nossos produtos, que no caso dessa coleção apresenta detalhes como a leveza da curva dos pés das peças que transmite a brasilidade que nós queríamos”, explica o designer gaúcho.

O uso da palhinha de algodão, do couro, madeira e metais na Cambito são essenciais para mostrar o regionalismo. “Nós temos uma riqueza de florestas e espécies vegetais que nos permitem trabalhar com uma paleta formada pelas cores naturais das madeiras e isso conta muito no caso das exportações, porque ter uma identidade é fundamental”, destaca Gregory Kravchenko.

Uma das curiosidades dessa coleção inspirada na miscigenação brasileira, é o uso de técnicas semi-artesanais na produção das peças, com o intuito de dar requinte e emoção ao trabalho. “Nós fazemos o entalhe manual e banhamos manualmente ao ouro para que os sentimentos fiquem implícitos e provoquem um carinho maior nas pessoas que possuem mais sensibilidade”, reflete o designer.

Gregory também conta outro fato interessante, “as peças da Cambito têm nomes de pessoas para homenagear nossos familiares queridos”.

Para ler esta matéria na íntegra é só clicar aqui e acessar a versão digital da revista 192.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato