fiscalizacao-inea-fabrica-colchoes.jpg

Fiscalização no Rio de Janeiro interdita indústria de colchões

Em mais uma operação de fiscalização no Distrito Industrial de Queimados, na Bacia do Rio Guandu, na Baixada Fluminense, a Indústria Brasileira de Colchões e Espumas de Poliuretano Ltda foi interditada cautelarmente, por armazenar 400 mil litros de produtos químicos empregados na produção de espuma para colchões, sem licença.

“Foram constatados o armazenamento inadequado de produtos perigosos, disposição inadequada de resíduos sólidos e encontradas canaletas ligadas à rede pluvial que, em caso de acidente, poderiam carregar o produto perigoso aos corpos hídricos”, informou o Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

A empresa de venda de colchões Ortobom, que comercializa os produtos da indústria interditada cautelarmente, confirmou que ela é uma de suas fornecedoras e condenou práticas que desrespeitam o meio ambiente.

“A Ortobom repudia práticas que degradam o meio ambiente e reitera que todas suas fábricas espalhadas pelo Brasil seguem rigorosamente a legislação sanitária e ambiental vigente”, informou a empresa à Agência Brasil.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato