moveleiro_linhares.jpg

Indústrias moveleiras capixabas concedem férias coletivas

As indústrias moveleiras de Linhares (ES), com um maior número de funcionários, devem parar as suas atividades nesse momento de crise por conta do coronaírus. De acordo com as informações publicadas no site A Gazeta, essas empresas vão conceder férias coletivas até o dia 31 de março aos seus colaboradores como medida preventiva em meio à pandemia. A iniciativa foi acertada entre a prefeitura e a entidade que representa o setor na região.

A medida serve para 18 empresas que, segundo o município, somam aproximadamente dois mil funcionários. E, de acordo com o Sindicato das Indústrias da Madeira e do Mobiliário de Linhares e Região Norte do Espírito Santo (Sindimol), foi firmado também um acordo com o sindicato que representa os trabalhadores para garantir a saúde dos funcionários e evitar demissões. Além da negociação de férias coletivas, esse acordo prevê a utilização do banco de horas, antecipação das férias, alteração na jornada de trabalho e suspensão de carga horária dos trabalhadores por período não superior a 30 dias.

Ao site A Gazeta, o diretor-presidente do Sindimol, Ademilse Guidini, afirmou que o acordo dá uma tranquilidade maior aos empresários e também aos trabalhadores, diante da situação de saúde pública que o País enfrenta e das incertezas vividas em consequência da crise.

“Não sabemos o que vem pela frente, a previsão é que o agravamento ainda aconteça em meados de abril, esse acordo foi feito pensando na saúde dos trabalhadores e na garantia dos empregos, e também para trazer tranquilidade maior para as empresas do setor nesse momento difícil que estamos passando. O acordo nos respalda, em caso de paralisação, para dar férias coletivas ou trocar os dias parados, isso é essencial nesse momento difícil em que não sabemos ainda qual o desfecho dessa situação”, ressaltou Guidini à publicação capixaba.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato