producaovs_67050_12_1.jpg

Produção de móveis de maio reverte boa parte das perdas de abril

Em maio de 2020, a produção industrial cresceu 7,0% frente a abril de 2020 (série com ajuste sazonal), interrompendo dois meses de resultados negativos consecutivos: -9,2% em março e -18,8% em abril. Em relação a maio de 2019 (série sem ajuste sazonal), a indústria recuou 21,9%, sétimo resultado negativo seguido nesse tipo de comparação e a segunda queda mais elevada desde o início da série histórica, atrás apenas de abril de 2020 (-27,3%). No ano, a indústria acumulou queda de 11,2%. Em 12 meses, o recuo foi de 5,4%, o mais intenso desde dezembro de 2016 (-6,4%).

A indústria de móveis reverteu o mau resultado de abril em níveis bem significativos. O resultado de abril na comparação com março havia sinalizado queda de 76,3%. Em maio na comparação com o mês imediatamente anterior a alta bateu em 49,1%. Este é o primeiro resultado positivo desde fevereiro, quando a elevação no nível em relação a janeiro havia ficado na casa de 0,7%.

O resultado de maio, porém, não foi suficiente para interromper a queda no acumulado do ano que passou de -17,9% para -21,9% de abril para maio. O índice anualizado também mostra desempenho pior nos 12 meses encerrados em maio, com recuo de 8% ante 4,8% na taxa anualizada até abril.

Veja abaixo a variação da produção de móveis nos primeiros cinco meses de 2020:

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato