sense_bed.png

Projeto português promete criar um colchão para cada um

A ideia do projeto Sense Bed surgiu da análise demográfica de Portugal. “Cada vez mais somos um país envelhecido e, com uma esperança média de vida ascendente, intensifica-se a necessidade de reduzir as fragilidades e impedimentos não só do paciente com mobilidade reduzida, mas também das instituições e do número crescente de familiares cuidadores”, explica Tiago Bento, responsável pela área da qualidade da Sociedade Têxtil Vital Marques Rodrigues. O projeto Sense Bed surge desta constatação, do desejo de desenvolver algo inovador tendo em vista o mercado e o meio social em que o País se insere. E qualquer semelhança com o Brasil não é mera coincidência.

Superfície Biomimética

Para dar forma a essa inovação, a empresa e os técnicos da Fibrenamics utilizaram-se da biomimética, estudo das estruturas biológicas e das suas funções para, assim, aprender com as estratégias e soluções da natureza. 

Depois de dois anos de investigação, a equipe desenvolveu uma gama de quatro produtos pensados para melhorar a saúde e o conforto de pessoas com mobilidade reduzida, doenças crônicas ou terminais: uma superfície biomimética de prevenção de escaras que melhora a distribuição do peso da pessoa no colchão, um sistema flexível de aquecimento para controle térmico, um sistema de monitoração da intensidade de pressão, para prevenir o aparecimento de escaras; e o quarto produto basicamente agrega os três anteriores.

No desenvolvimento da camada exterior para o colchão, destinado à prevenção de úlceras de pressão, definiu-se, como conceito básico para o design da superfície, as estruturas encontradas em elementos vegetais. “A variação dinâmica da forma e os mecanismos de absorção de energia estão presentes em elementos como as folhas de diferentes espécies de plantas”, explica Tiago Sousa, designer de produtos na Fibrenamics e responsável pela concepção biomimética do Sense Bed.

Como o professor de Biomimética do Departamento de Design da PUC-RJ, Fred Gelli, pontua que “a diversidade é o fortalecimento da vida” é perceptível que essa prática ajuda a construir um colchão para cada um.

Leia a reportagem completa clicando aqui e acessando a versão digital do Anuário de Colchões Brasil 2020.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato