16817-bento-770x499.jpg

Falta de mão de obra preocupa moveleiras de Bento Gonçalves

O setor moveleiro é um dos que mais se destaca em Bento Gonçalves (RS), mas as fábricas têm observado que falta mão de obra qualificada para atuar nas moveleiras. Alguns fabricantes estão precisando recrutar seus próprios funcionários para ocupar cargos específicos.

Aliás, a falta de mão de obra qualificada tem se mostrado um desafio aos outros setores de destaque da cidade gaúcha também, causando uma preocupação geral. O que se vê atualmente é que não há profissionais com conhecimento suficiente para trabalhar em determinadas áreas.

Em entrevista ao Jornal Semanário de Bento Gonçalves, o presidente Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Bento Gonçalves (Simmme), Juarez Piva, chegou a afirmar que o problema é um agravante há anos. “Nota-se a deterioração do ensino, começando do fundamental até o médio. A falta de aprendizagem básica em matemática e português, por exemplo, está sendo um grande entrave em todos os setores”, explica.

Ele também conta à reportagem que algumas empresas estão tendo de investir em qualificação profissional para poder suprir o básico das necessidades. “Temos o Senai, e contribuímos para as universidades e faculdades daqui. Principalmente indústrias têm apostado muito, ao pagar cursos. Mas chega a dar certo constrangimento, porque as pessoas não querem fazer. Elas não estão dispostas a tirar um tempo para estudar. Diversas empresas fazem comunicados, colocam nos murais a disponibilidade e ninguém se inscreve ou se prontifica a fazer uma atualização”, lamenta.

Piva, inclusive, aponta que a falta de mão de obra é uma das causas da baixa produtividade enfrentada em todo o Brasil.

leia: PRODUÇÃO DE MÓVEIS CAI EM ABRIL, MAS ACUMULA ALTA DE 27% NO ANO

A analista de Recursos Humanos da Dalmóbile Móveis Planejados, Lidiane Agostini, também contou ao Semanário que há falta de profissionais de áreas técnicas, com conhecimento na indústria moveleira. “Hoje, apostamos no recrutamento interno para ocupar cargos específicos”, explicou.

O Jornal Semanário destaca que a Dalmóbile é uma das empresas que vêm investindo na capacitação dos funcionários, para que não haja tantos gargalos e retrabalhos. “A perda de matéria prima ou danos nos equipamentos também estão diretamente ligados aos prejuízos”, afirmou Lidiane à reportagem.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato