lojas_fechadas_rn.jpg

RN libera lojas de móveis só no oitavo dia da flexibilização

O governo do Rio Grande do Norte anunciou, na segunda-feira (29), que a retomada das atividades econômicas do estado começará na quarta-feira (01). Apesar disso, as lojas de móveis, eletrodomésticos e colchões só poderão voltar a abrir a partir do oitavo dia de flexibilização.

Foi publicado pelo governo no Diário oficial um novo cronograma para 1ª fase da volta dos estabelecimentos, que antes tinha três frações e agora terá apenas duas frações.

A retomada havia sido adiada por duas vezes, já que, segundo o Executivo, essa reabertura estaria condicionada ao fato de reduzir a ocupação nos leitos de UTI do estado para menos de 70%. O último adiamento aconteceu no dia 23 de junho. Nesta segunda-feira, a Prefeitura de Natal também anunciou a reabertura do comércio a partir de terça-feira (30).

A taxa de ocupação de leitos críticos na região metropolitana de Natal atualmente é de 97,4%, no Oeste de 93,2% e no Seridó de 82,8%. Ao todo, 44 pacientes aguardam por leitos críticos no estado. Os dados foram consultados às 18h10 no Regula RN, que monitora a situação dos leitos no estado. De acordo com o último boletim da Secretaria do Estado de Saúde Pública (Sesap), o RN tem 24.301 casos de Covid-19 e 937 mortes pela doença.

Na segunda-feira, o comitê científico de enfrentamento à pandemia da Covid-19 no RN disse que há uma redução na pressão sobre leitos de UTI no estado e que a taxa de transmissibilidade da doença tem diminuído. Apesar disso, o comitê alertou que não há motivo para relaxamento do isolamento social.

A fase 1 do novo cronograma representa as atividades que vão retornar no dia 1 de julho e é dividida em duas frações. A primeira delas é composta por serviços de comunicação, salões de beleza, barbearias e afins. Já na segunda estão as lojas de móveis, eletrodomésticos e colchões, juntamente com magazines, lojas de departamento, comércio de calçados, brinquedos etc.

Os estabelecimentos que vão reabrir precisam cumprir algumas determinações, como higienização dos locais, uso de máscaras por funcionários e clientes, controle no número de pessoas nas lojas, e disponibilização de álcool em gel 70%.

"Como os tempos que vivemos ainda não são de normalidade, peço que não entendam o início dessa retomada como um convite ao não distanciamento ou ao 'liberou geral'. Qualquer retrocesso nos levará a retomar parâmetros de restrições anteriores. Por isso que, mais do que nunca, é preciso manter o isolamento social como medida preventiva e o uso obrigatório de máscaras em todos os espaços públicos, incluindo os transportes públicos", disse a governadora Fátima Bezerra (PT).

Na publicação do Diário Oficial, o governo reitera que "verificada tendência de crescimento dos indicadores após a liberação das atividades, poderão ser adotados, a qualquer tempo, se necessário, o restabelecimento ou o adiamento das fases, bem como o recrudescimento das medidas".

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio) disse que a retomada vai acontecer de maneira segura no estado. "Nosso segmento está preparado e seguirá se aprimorando para que esta retomada gradual se dê com toda a segurança e firmeza. Fazer algo dessa reabertura algo definitivo e positivo é tarefa de todos nós, empreendedores, autoridades, consumidores e colaboradores. É preciso atender os protocolos. Fiscalizar sua aplicação, orientar eventuais ajustes e fazer o RN retomar o crescimento", disse o presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz.

(Com informações do G1 Rio Grande do Norte)

 

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato