magazine_luiza.png

Vendas da Magalu aceleram após impacto inicial da pandemia

Desde abril o Magazine Luiza observou uma forte aceleração das vendas, sendo que seu comércio eletrônico vem compensando, com folga, o fechamento das lojas físicas devido às medidas de isolamento social para conter o avanço da pandemia do coronavírus.

A varejista informou, na segunda-feira (25), que, após um impacto negativo em meados de março (início das medidas de isolamento), as vendas totais em abril subiram 7% no comparativo anual, acelerando para 46% em maio – até o dia 20.

"Os efeitos dessa nova realidade já se mostraram no resultado final do primeiro trimestre. E devem ter impacto ainda maior no segundo", afirmou a companhia no relatório emitido.

A companhia teve prejuízo ajustado de 8 milhões de reais no primeiro trimestre, ante lucro de 125,6 milhões de reais em igual etapa de 2019, refletindo, sobretudo, o fechamento total de suas lojas físicas, que deixaram de vender o equivalente a 500 milhões de reais na segunda metade de março, estimou a empresa.

De todo modo, a receita líquida total do Magazine Luiza evoluiu 20,9% no primeiro trimestre, no comparativo anual, para 5,2 bilhões de reais.

O Magazine Luiza afirmou ter tomado medidas para fortalecer sua posição de liquidez diante dos efeitos da pandemia e fechou março com caixa líquido 3,8 bilhões de reais, ante 1,4 bilhão de reais 12 meses antes.

(Com informações da Reuters)

empresa

Magazine Luiza

O Magazine Luiza é uma das maiores lojas de varejo do país, com 53 anos de história e mais de 600 lojas distribuídas em 16 Estados brasileiros. Quem compra no Magazine Luiza conta com diversos produtos, como eletrodomésticos, celulares, móveis, notebooks , tablets, TVe vídeo, além de muitas outras opções.