emma_box_(2).jpg

Alemã Emma Colchões cresce 200% em volume de vendas no Brasil

Empresa global desembarcou no País em outubro de 2019 e surpreende os resultados de vendas mês a mês somente com a modalidade online. Período de quarentena ampliou a demanda e deve trazer novos consumidores que passam a aderir às compras virtuais

A marca alemã Emma Colchões, primeira empresa internacional a desembarcar no Brasil trazendo produtos voltados à tecnologia do sono, com o conceito de colchão bed in a box como carro-chefe, chegou em outubro de 2019 e já apresenta um resultado superior às expectativas de vendas locais.

No Brasil, sua porta de entrada para a América Latina, obteve um crescimento de 200% nas vendas mês a mês, atingindo um faturamento de R$ 4,3 milhões, sendo o último trimestre responsável por 85% dos resultados. A projeção da empresa era atingir um faturamento de R$ 3 milhões, ou seja, cresceu em faturamento 43%.

A chegada do Coronavírus no País também impactou nas receitas da empresa, visto que o estabelecimento da quarentena foi um divisor de águas no comportamento dos consumidores que eram resistentes às compras online. Além de ampliar as vendas em 225% no último mês, a empresa entende que haverá uma tendência maior de demanda do produto em função dos novos adeptos às compras digitais. Entre março e abril, por exemplo, houve um aumento de 122% no número de visitantes no site.

Para 2020, a Emma projeta um faturamento global superior à 400 milhões de euros, sendo o Brasil responsável por 2% deste resultado, ou seja, 8 milhões de euros, equivalente a R$ 40 milhões. "Nossas receitas provêm ainda dos países europeus, onde a marca nasceu, mas num futuro próximo a América Latina representará uma fatia muito maior das vendas", explica Carlos Garcia, cofundador da Emma no Brasil. Atualmente, a região sudeste representa mais de 80% da comercialização, com destaque para São Paulo, em função do comportamento de consumo local e maior acesso à internet.

"Nossa expectativa de crescimento vai continuar agressiva, tanto em lançamentos quanto em presença online e offline. Agora ampliaremos nosso mercado com lojas físicas por meio de parcerias que serão estabelecidas no segundo semestre do ano", reforça Garcia.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato