your_desing_here_baixa.jpg

Exportações de móveis recuam 2,8% em ano de pandemia

Se analisarmos sob o prisma de um ano atípico, com a pandemia que abalou o mundo, os resultados alcançados pela indústria de móveis no mercado externo podem ser considerados positivos, com recuo de 2,8%, apenas 2,1 pontos percentuais mais do que a queda de 0,7% verificada no ano anterior, segundo os dados do MDIC.

Fechamos o ano com vendas de US$ 691,3 milhões ante US$ 710,9 milhões em 2019. Dos quatro maiores estados exportadores, que representam 95% do total, dois apresentaram evolução (São Paulo 0,6% e Paraná 3,4%) nas exportações, enquanto Santa Catarina (-1,5%) e Rio Grande do Sul (-8,9%) tiveram queda em relação ao 2019.

Apesar da concentração das vendas em quatro estados, de todas as unidades da federação apenas o Distrito Federal, Rio Grande do Norte, Piauí e Tocantins não registram exportações de móveis em 2020.

Analisando as exportações por bloco econômico (veja quadro abaixo), surpreende a América do Sul, que em 2020 representou 31% do total, apesar de uma queda de 9,1% em relação a 2019. A liderança continua com a América do Norte, com 42% e alta de 8,3% ano passado. Em terceiro vem a Europa, com 16%, mas com queda de 16,1% no volume importado.

Para o CEO do Intelligence Group e diretor-presidente do instituto Impulso, Ari Bruno Lorandi, “as dificuldades para consolidar nossa matriz exportadora podem se resumir principalmente na falta de foco das empresas. Noventa e nove por cento do problema decorre disso, porque sem foco fica difícil competir no concorrido mercado global, liderado hoje com folga pela China, que tem muitas indústrias com foco 100% em exportação”. Lorandi acrescenta que “não dá para imaginar alcançar uma fatia relevante exportando apenas o excedente, adaptando produtos do mercado interno para vender aos vizinhos, ou depender de uma concentração em dois mercados, como é o caso de Estados Unidos e Reino Unido que representam 47% das nossas vendas”.

Leia: POR QUE AS EXPORTAÇÕES DE MÓVEIS NÃO DECOLAM?

Veja abaixo o quadro das exportações de móveis, comparando com 2019 e a participação de cada estado no total exportado em 2020:

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato