duratex-55.jpeg

Exportações de painéis da Duratex caíram 14% no 2º trimestre

A polêmica sobre a influência das exportações de painéis como principal responsável pela falta de matéria-prima para as indústrias de móveis na retomada do mercado começou com a Movergs. Num certo trecho da correspondência enviada à Abimóvel no inicio de agosto, ao lamentar as dificuldades das indústrias no momento, a Movergs assinala: “As poucas fabricantes de algumas matérias-primas têm gerado privilégios que ultrapassam o limite do aceitável, privando, inclusive, de abastecimento o mercado brasileiro em prol de ganhos extras com a exportação dos produtos. Verifica-se que apenas no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019, a exportação do MDP cru para a China registrou aumento de 700% e caso muito semelhante ocorre com os EUA, com alta de mais de 600%”.

Os dados oficiais dos movimentos de exportação e importação estão centralizados no portal Comex Stat, do Ministério da Economia. Uma pesquisa a partir das descrições NCM 4410 e NCM 4411 (Nomenclatura Comum do Mercosul), que considera painéis de partículas de madeira (MDP) e painéis de fibras de madeira de média densidade (MDF), respectivamente, responde aos questionamentos.

VEJA: DURATEX SE POSICIONA SOBRE ALTA DE PREÇOS E ESCASSEZ DE PAINÉIS

No caso do MDP, em quantidade (M³) houve alta média de 18,61% e de 4,56% em US$. Especificamente o produto do código 44101110 registrou aumento de 64,1% em US$ e 58,9% em volume. Por seu lado, as exportações de MDF, de janeiro a julho, totalizaram US$ 99,1 milhões, queda de 11,9% sobre igual período do ano anterior. Em quantidade a queda chegou a 30%.

Não encontramos dados com os percentuais indicados pela Movergs nas exportações do MDP cru (Código 44101110) para China e Estados Unidos. Os dados que estão no Comex Stat mostram que este item registra alta de 129,0% em US$ e 96,0% em volume para os Estados Unidos e de 119,2% em US$ e 120,0% em volume para a China.

Duratex exporta menos no 2º trimestre

Segundo consta na apresentação dos resultados dos dois primeiros trimestres de 2020 – material apresentado aos acionistas – as exportações de painéis caíram, mesmo considerando a alta de 4,8% no período de janeiro a março (1T20) Consta no relatório: “Mercado externo em recuperação, impactado principalmente pelo aumento dos volumes exportados de MDP”.

Veja também: Uma competitiva jornada

As vendas externas de abril a junho, exatamente no período da pandemia, recuaram 14,0% (2T20). A observação da diretoria é quemesmo com a desvalorização cambial, houve queda do volume no mercado externo em relação ao 2T19, em decorrência das medidas de isolamento adotadas na América Latina.

Os dados são sempre comparados com igual período do ano anterior.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato