closeup-process-kitchen-furniture.jpg

IKEA vai vender peças para prolongar a vida dos móveis

A ideia de que os produtos da IKEA são descartáveis é, de acordo com a marca sueca, equivocada. Para provar isso, a marca vai começar a vender peças separadas que poderão ajudar a prolongar a vida dos seus móveis, por exemplo. O armário já não fecha bem? Talvez baste trocar a porta, por exemplo.

De acordo com o Financial Times, a medida surge em linha com as preocupações ambientais da gigante de mobiliário e decoração, que espera com isso conseguir acabar com a ideia de que os seus artigos não são feitos para acompanhar os consumidores ao longo da vida. Esta foi a mesma estratégia usada pela IKEA ao testar a venda de produtos de segunda mão, por exemplo.

“Para prolongar a vida dos produtos, um fator-chave é ter partes suplementares. Para que se possa atualizar, através de novas capas ou pés, um sofá, por exemplo”, admite Lena Pripp-Kovac, Chief Sustainability Officer da Inter IKEA.

leia: CONTROLADORA DA IKEA COMPRA MAIS UMA FLORESTA, AGORA NOS EUA

No ano fiscal que terminou em agosto de 2020, a IKEA providenciou aos seus clientes 14 milhões de peças suplementares, mas o objetivo é aumentar este número através de um sistema de encomendas online, que será disponibilizado em todo o mundo ainda este ano.

Em entrevista ao Financial Times, Lena Pripp-Kovac deixa claro que o mobiliário da IKEA não é descartável e que vender produtos acessíveis não deve significar que os clientes se sintam confortáveis com a ideia de colocá-los no lixo. Segundo o CEO Jon Abrahamsson Ring, a sustentabilidade e o preço devem andar juntos: “É assim que ajudamos muitas pessoas. A sustentabilidade não pode ser apenas para os mais ricos”, concluiu.

(Com informações Marketeer)

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato