transformacao_digital.png

Investimento em transformação digital no varejo cresce 87%

A pandemia de Covid-19 acelerou a migração digital das empresas do varejo brasileiro, uma vez que as medidas de isolamento social afetaram diretamente as vendas e o atendimento nas lojas físicas.  Um estudo desenvolvido pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) em parceria com Oasis Lab Innovation Space identificou uma aumento de 87% no investimento em Transformação Digital.

A porcentagem corresponde a 0,73% sobre o faturamento bruto das empresas varejistas, segundo resposta das companhias entrevistadas.

Os investimentos em ferramentas utilizadas para a contribuição na transformação digital nas lojas físicas traduzem em melhora da experiência do consumidor, e também em auxiliar a tomada de decisão do cliente.

A pesquisa faz uma radiografia dos investimentos em transformação digital, da automação e treinamento dos funcionários nas empresas do varejo brasileiro, assim como do uso das ferramentas de inteligência artificial nos pontos de venda.

Segundo os varejistas entrevistados, os investimentos em transformação digital resumem-se em aumento do faturamento em vendas e aumento do engajamento do consumidor principalmente em canais digitais.

Ainda de acordo com a análise feita pela SBVC, 97% dos varejistas acreditam que líderes são co-criadores, e trabalham em parceria com seus funcionários.

“Não só para o segmento varejista, mas para o mercado como um todo, a inovação colaborativa e uma cultura de co-criação entre líderes e funcionários são fatores preponderantes para a aceleração digital, que se torna ainda mais relevante neste cenário de pandemia”, assegura Hélio Biagi, Co-Fundador do OasisLab Innovation Space.

Outro tema que têm atenção especial dos varejistas é o trabalho remoto, ou “home office”, que, em relação aos anos anteriores, houve crescimento significativo, passando de 23% em 2019, 62% em 2020, para 85% em 2021 das empresas que fazem seu uso.

Em relação às principais ferramentas de transformação digital utilizadas no atendimento ao consumidor, estão soluções em meios de pagamento (94%) e análises de dados no ambiente online (77%).

Soluções em logística (51%) é destacada como principal ferramenta de implementação nos próximos 12 meses.

Leia: COM VENDA REDUZIDA, VAREJISTAS SEGURAM PEDIDOS COM INDÚSTRIA

Metodologia

Para a avaliação, as empresas ouvidas foram divididas por faturamento: 33% delas tinham faturamento até 500 milhões; 19% com faturamento entre 500 milhões e 1 bilhão de reais e 48% com faturamento acima de 1 bilhão de reais.

E representam os maiores companhias do mercado, de 10 diferentes segmentos do varejo, como moda, calçados e artigos esportivos, super, hiper, atacarejo e conveniência, lojas de departamento, artigos do lar e mercadorias em geral, drogarias e perfumarias, foodservice, livrarias e papelarias, eletromóveis, material de construção, óticas, joias, bolsas e acessórios e outros segmentos.

(Com informações do Money Times)

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato