stock-crash-market-exchange-loss-trading-graph-analysis-investment-indicator-businessl.jpg

Preços dos móveis perdem para a inflação nos últimos 12 meses

Embora tenha havido aumentos importantes no segundo semestre do ano passado, quando se analisa o comportamento dos preços no varejo nos últimos 12 meses encerrados em março, móveis perde feio para a inflação do período. O IPCA geral subiu 6,10% enquanto móveis aumentou apenas 1,54%.

Das 10 regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE, em quatro houve recuo nos preços de móveis, sendo o maior em Belém (-8,28%), seguido por São Paulo (-3,30%), Salvador (-1,46%) e Curitiba (-0,67%).

As maiores altas ocorreram em Belo Horizonte (14,10%), Porto Alegre (12,24% e Recife (6,14%).

Considerando todos os segmentos, as maiores altas se concentraram em Belo Horizonte e as maiores baixas em Belém onde todos os itens pesquisados tiveram redução de preço no varejo.

Por segmento, nenhum subiu mais do que colchão, com 50,55%, seguido de longe por móvel e quarto (3,67%). No outro extremo, móvel de copa e cozinha liderou a queda com -4,14% no período.

leia: VAREJO REPASSA O DOBRO DO IPCA NAS VENDAS DE MÓVEIS ESTE ANO

Março mostra estabilidade

A variação do IPCA de março em móveis é de 0,54% ante um IPCA geral de 0,93%. Apenas móvel infantil registra queda (-0,68%) e colchão segue liderando a alta com 6,35%. Dos 10 locais pesquisados, em apenas dois houve recuo no índice, com -0,85% em São Paulo e -0,68% em Fortaleza. A maior alta foi verificada em Belo Horizonte (2,75%).

Veja abaixo quadros com os índices de março e do acumulado de 12 meses:

 

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato