montagem_de_moveis.png

Produção de móveis sobe forte no Paraná em setembro, diz o IBGE

A indústria de móveis do Paraná, que nos primeiros dois meses do ano registrava alta de pouco mais de 12%, perdeu 69,5% nos quatro meses seguintes, no auge da pandemia, com fábricas fechadas e falta de matéria-prima. De janeiro a maio a queda bateu em 37,8%. Mas acelerou a produção a partir de junho e apesar das dificuldades com insumos, em quatro meses aumentou 118% os níveis de produção na comparação com igual período do ano passado. Com estes números, chega em setembro com alta de 1,8% em comparação com os primeiros nove meses do ano passado. E no mês de setembro registra alta de 24% sobre o mesmo mês de 2019. Uma recuperação em “V”, como gosta o ministro da Economia, Paulo Guedes.

leia: MÓVEIS DE VALOR DIVULGA AS MARCAS VENCEDORAS DO PRÊMIO TOP 20

Mas o Rio Grande do Sul, que divide com o Paraná a hegemonia da produção de móveis no país, não teve o mesmo desempenho. Sofreu queda na produção em todos os primeiros cinco meses do ano na comparação com igual período de 2019, recuando o nível em 25,1% de janeiro a maio. Assim, até maio as perdas da indústria gaúcha eram menores do que as do Paraná. Mas a retomada não aconteceu na mesma velocidade dos paranaenses. Entre junho e setembro a evolução foi de apenas 16,1% na comparação com o mesmo período do ano passado. E, em setembro houve recuo de 0,9% nesta base de comparação.

Nos primeiros nove meses do ano a produção gaúcha registra queda de 12,9%, segundo a pesquisa industrial mensal do IBGE.

Veja abaixo o gráfico que mostra a variação da produção mês a mês no Paraná e no Rio Grande do Sul, com dados do IBGE:

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato