Jason_Phillipps.jpg

Upcycling ganha espaço na produção de móveis

A cada dia, milhões de toneladas de resíduos são produzidos e descartados pelo ser humano na natureza. Não é possível as pessoas manterem esse padrão sem aumentar mais os danos aos ecossistemas do planeta. Todavia, o design, através da criatividade, aliada a uma infinidade de outros recursos, pode ajudar a minimizar os prejuízos.

 

Mas o que fazer com a enorme quantidade de descartes no nosso planeta? Reciclar é um caminho, mas a reutilização, quando possível, é uma solução mais efetiva. Não por acaso, o conceito de upcycling vem ganhando espaço nos últimos anos, não só entre os designers de produtos, como também nas indústrias do mundo inteiro, afinal sustentabilidade e uso inteligente de recursos é algo que cada vez mais importa para as pessoas.

 

 

 

Leia também:

- Tubos de pasta de dente podem virar móveis

- Discurso sustentável tem motivação econômica

 

O nome upcycling, ainda sem tradução para o português, nada mais é do que o processo de transformar diferentes tipos de resíduos, considerados até então inúteis e totalmente descartáveis, em novos produtos e materiais, aumentando seu valor monetário e a sua vida útil. Dessa maneira, materiais experimentam um segundo ou mesmo um terceiro ciclo de vida, seja quando uma peça é produzida a partir de outra que não seria mais utilizada ou então quando as marcas encontram maneiras de alongar o ciclo de vida de suas criações. Este é um conceito que ajuda na manutenção de uma vida ecologicamente correta, elemento tão em voga no mundo do design de móveis nos últimos anos.

 

 

Reciclagem X Upcycling

 

A associação de upcycling com a reciclagem é instantânea, porém é importante saber diferenciar essas duas formas de lidar com os resíduos. Upcycling é o processo de recuperação de materiais que seriam descartados de qualquer forma, e que não teriam outro destino além do lixo. Materiais com potencial de utilidade são reaproveitados o máximo possível ainda em sua forma original, para se tornarem um produto de maior valor e maior qualidade. E tudo isso é feito sem o uso de qualquer energia durante as etapas, tornando o upcycling, assim, um processo totalmente benéfico à natureza.

 

A reciclagem, por sua vez, consiste no processo de recolhimento de materiais já descartados, que posteriormente são separados e processados, muitas vezes com processos químicos e físicos, para se tornarem novos produtos. O upcycling ensina que ter uma vida sustentável vai além de simplesmente reaproveitar coisas. É preciso pensar também na energia que gastamos para reaproveitá-las e fazer as escolhas mais econômicas e inteligentes possíveis.

 

Trabalhar dessa maneira, sem dúvida, é também um desafio para criatividade. Mas são inúmeros os produtos que, não apenas respeitam os recursos naturais do planeta, como também facilitam a vida diária e são frutos de projetos de inclusão social. Afinal, sustentabilidade tem a ver com construir um sistema interdependente de colaboração que beneficie a todos.

 

 

História

 

O primeiro registro do termo upcycling é do ano de 1994 e aconteceu durante uma entrevista do empresário e ambientalista Reine Pilz. Na época, ao comentar sobre o grande desperdício de material, usou o termo “downcycling” como forma de crítica. E apontou que a Europa, sobretudo a Alemanha, precisava valorizar mais seus produtos.


O mesmo termo também foi usado posteriormente no livro Cradle to Cradle: Remaking the Way We Make Things (“Criar para Cuidar: Refazendo a maneira como fazemos as coisas”, em tradução livre), de William McDonough e Michael Braungart. No livro, publicado em 2002, os autores concordam com Reine Pilz quando apontam a necessidade de sempre evitarmos qualquer desperdício de materiais potencialmente úteis, fazendo uso dos já existentes.

 

Matéria publicada originalmente na edição de julho da revista Móveis de Valor.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato