venda_de_moveis_despenca.jpg

Venda de móveis despenca em março, mas queda já era esperada

Volume de vendas de móveis no comércio varejista despencou em março, período em que as lojas físicas começaram a serem fechadas. Embora o fechamento foi gradativo, os resultados mostram queda de 10,4% na comparação com igual mês de 2019, o que antecipa que as vendas no e-commerce no período, que subiram quase 25%, não se refletiram no resultado final das vendas. Isso deve a pouca representatividade das vendas de móveis pela internet.

Apesar do fraco resultado de março, o volume de venda de móveis no primeiro trimestre fechou em alta de 2,6% quando comparado ao mesmo período do ano passado, deixando a taxa anualizada em 6,4%, ou 0,5 ponto percentual menor do que a verificada nos 12 meses encerrados em fevereiro.

O indicador de receita nominal de venda de móveis foi ainda pior em março. O recuo na comparação com março de 2019 atingiu 16%. Essa diferença entre volume e receita também se deve a deflação registrada no período, que chegou a 5,81%, segundo pesquisa do IPCA.

No primeiro trimestre a receita nominal ainda se encontra em terreno positivo, com1,2% e a taxa anualizada segue também positiva em 5,9%, ou seja, 1,2 ponto percentual menor do que a verificada nos 12 meses encerrados em fevereiro.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato