IMG-LOGO

Westwing é outra varejista que vê suas ações derreterem na Bolsa

Por Natalia Concentino - 19 de Janeiro 2022 779 Views
westwing_caiu.jpg

Fruto de um modelo alemão, a Westwing se junta aos demais gigantes do e-commerce de móveis com as ações derretendo na Bolsa de Valores. Por sinal, a queda começou no dia do IPO: precificadas a R$ 13, as ações foram vendidas a R$ 11,85. No dia 13 de janeiro deste ano, menos de um ano após o IPO, as ações da Westwing estavam sendo vendidas a R$ 2,88, isto é, queda de 77,8% sobre o valor precificado e de 75,7% sobre o valor do dia da abertura do capital.

A compra da Zarco, uma agência de viagens online, no início de outubro, também contribuiu para isso. E a maior demonstração aconteceu no dia seguinte ao anúncio da compra. As ações abriram a R$ 5,60 e no dia 30 recuaram para a mínima histórica da empresa, a R$ 4,40, uma queda em dois dias de 21%.

Foi em fevereiro de 2021, que a Westwing levantou uma rodada de R$ 1,16 bilhão de investimentos ao se tornar uma empresa de capital aberto listada na B3. Um dos objetivos da empresa era a expansão de participação de mercado, além de direcionamento dos recursos para áreas como marketing, tecnologia, private label e logística.

leia: AÇÕES DO MAGALU DESPENCAM MAIS DE 77% NOS ÚLTIMOS 13 MESES

No ano anterior, a plataforma inaugurou o WestwingNow, uma loja de decoração online com entrega mais rápida e solidificou a sua rede logística, por meio de investimentos na Westlog, braço da companhia de logística. Atualmente, o serviço próprio de entregas já representa 89% dos envios feitos para a Grande São Paulo.

“O modelo de negócios da empresa sempre teve diferenciais competitivos que chamam a atenção do mercado e levou ao crescimento expressivo nos últimos anos e após o IPO. Nos seis primeiros meses de 2021, a receita líquida aumentou 63% em comparação ao mesmo período de 2020”, afirma Andres Mutschler, fundador e CEO da Westwing. “Outro ponto positivo foi nossa agilidade na adaptação da operação na pandemia, quando o lar virou o centro das atenções”.

leia: WESTWING TAMBÉM MIRA MERCADO FÍSICO E ABRE LOJA EM CAMPINAS

Pensando no futuro, a empresa investe na expansão física como vetor do crescimento nos próximos semestres. Em julho deste ano, a empresa inaugurou um hub logístico para atender a região metropolitana do Rio de Janeiro, localizado em Duque de Caxias.

Até o início do próximo ano, serão cerca de cinco lojas inauguradas em localidades como Brasília, Rio de Janeiro e Campinas, cidade do interior de São Paulo, em que a capital já conta com uma unidade na região da Vila Madalena desde 2016. Até o fim de 2022 a previsão é de inaugurar 15 novas lojas, além da já existente na capital paulistana.

Westwing foi trazida em 2011 para o Brasil como parte do grupo alemão de mesmo nome e, desde 2018, atua de maneira independente.

Comentários