beautiful-woman.jpg

Abicol emite nota de repúdio ao aumento de ICMS em São Paulo

A Associação Brasileira da Indústria de Colchões divulgou nota reprovando o aumento das alíquotas de ICMS no estado de São Paulo, inclusive para colchões, considerando o impacto negativo para os empresários locais. “Aumentar impostos é o caminho mais rápido para aniquilar a esperança de sobrevivência das empresas que já estão com dificuldades para manter o mínimo, empregos e um lugar no mercado”, destaca a nota da Abicol, acrescentando que é hora de os governos pararem de buscar soluções fáceis para si e inspirarem-se nas empresas que para sobreviver revisam seus processos, ajustam seus quadros, adequam as suas respectivas estruturas à dura realidade”. E conclui que a entidade “REPROVA E REPUDIA quaisquer práticas que aumentem impostos, quais sejam, sem antes eliminar-se completamente vantagens, benefícios, estruturas pesadas, entre outros abusos, que são completamente incoerentes com a realidade econômica brasileira”.

Veja abaixo a íntegra da nota da Abicol

NOTA DE REPÚDIO AO AUMENTO DE ICMS DO GOVERNO PAULISTA

1. Em consideração à decisão do Governo do Estado de São Paulo de elevar alíquotas do ICMS em diversos produtos, inclusive colchões, a Associação Brasileira da Indústria de Colchões – ABICOL, vem tornar público o REPÚDIO ao referido aumento, pelo impacto negativo que causará nos negócios dos empresários paulistas.

2. Em que pese os ajustes fiscais serem um dos componentes para efetiva reforma administrativa tão necessária e fundamental para o equilíbrio econômico, aumentar os impostos é o caminho mais rápido para aniquilar a esperança de sobrevivência das empresas que já estão com dificuldades para manter o mínimo, empregos e um lugar no mercado.

3. É chegada a hora dos Governos pararem de buscar soluções mais fáceis para si e inspirarem-se nas empresas brasileiras que, apesar do sistema, para sobreviver, revisam seus processos, ajustam seus quadros, adequam as suas respectivas estruturas à dura realidade e apenas quando não há mais por onde, tentam compensar uma parte do desequilíbrio das contas na sua fonte de renda.

4. Nesse sentido, a ABICOL, REPROVA E REPUDIA quaisquer práticas que aumentem impostos, quais sejam, sem antes eliminar-se completamente vantagens, benefícios, estruturas pesadas, entre outros abusos, que são completamente incoerentes com a realidade econômica brasileira.

CONSELHO DE ÉTICA ADMINISTRAÇÃO

Associação Brasileira da Indústria de Colchões

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato