bebe_dormindo.png

Colchões muito macios podem causar morte súbita em bebês

Um novo estudo revelou que a grande maioria dos casos de Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL) estão associados a dormir num colchão mole e roupa de cama maleável. A SMSL é a morte súbita e sem explicação de um bebê durante o primeiro ano de vida. A maioria dos casos está associada ao sono e por isso é conhecida como “morte no berço”.

Publicado na revista científica Pediatrics, o novo estudo demonstrou que de quase 4929 casos de SMSL, 72% tinham ocorrido em condições pouco seguras para dormir. As mortes tinham ocorrido entre 2011 e 2017 nos Estados Unidos.

A análise da equipe de investigadores que conduziu o estudo indicou ainda que 75% das mortes dos bebês tinham ocorrido por obstrução das vias aéreas devido ao uso de um colchão mole e roupa de cama maleável. Apenas 1 a 2% dos casos de mortes não explicadas não apresentavam pelo menos um fator relacionado com essas condições para dormir.

Perante estes resultados, Rachel Moon, diretora do grupo de trabalho da Academia Americana de Pediatria alertou que “estas mortes continuam a acontecer – e acontecem a pais bem-intencionados”. A especialista não esteve envolvida no estudo.

Síndrome da Morte Súbita: números elevados são evitáveis

Apesar de mais de 20 anos de recomendações de saúde pública para minimizar os riscos de síndrome da morte súbita nos EUA, ela ainda é a causa número um de morte em bebês de um a 12 meses de idade.

“Desde 1998 estamos mantendo a mesma taxa de mortes relacionadas ao sono”, acrescentou Rachel Moon. “E a taxa nos EUA é muito mais elevada do que a da maioria dos países desenvolvidos – e mesmo não tão-desenvolvidos”, observou.

Segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, todos os anos morrem cerca de 3.500 bebês no país. Infelizmente, durante os últimos anos, não se têm registado grandes quedas nestes números. Nem mesmo os esforços por parte da saúde pública do país para informar os pais sobre como criarem um ambiente seguro para os bebês dormirem têm ajudado.

Foi nos anos 90 que se descobriu que os riscos de síndrome da morte súbita eram menores se os bebês fossem colocados para dormir com a barriga para cima e sobre uma superfície firme e sem roupa de cama maleável, como cobertores por exemplo. Além disso as almofadas, brinquedos e outras decorações no berço podem ser perigosos.

leia: ORTOBOM LANÇA PROGRAMA PARA RECICLAR EMBALAGEM

Porque nunca é demais relembrar…

- Coloque o bebê de costas no berço

- O berço deve ser seguro, com colchão firme e bem adaptado ao berço

- Se optar por cobertor, este não deve ultrapassar os ombros do bebê para evitar o sobreaquecimento

- Nunca coloque o bebê numa cadeira, sofá, cama de água ou pele de carneiro

- O bebê nunca deve dormir na cama dos pais

- Não coloque no berço almofadas ou fraldas e nem brinquedos, pois o bebê pode se sufocar

- Mantenha o quarto onde o bebê dorme com temperatura confortável para um adulto

- Não fume na gravidez. Não deixe que fumem perto do seu filho. A exposição ao fumo do tabaco aumenta o risco de morte súbita

- A chupeta reduz o risco de morte súbita, mas se o bebê a rejeita, não force

- A amamentação está associada a um menor risco de SMSL

- Os monitores em casa não diminuem o risco de morte súbita.

(Com informações do site português Mãe Me Quer)

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato

Você já conhece e segue nossas redes sociais?