this-is-a-young-family-who-came-to-the-store.jpg

Comércio de móveis supera expectativas e cresce 11,9% em 2020

Poucos acreditavam que 2020 seria um bom ano, como já escrevemos antes, um ano para não ser esquecido. É verdade que a pandemia impactou a todos de forma muito negativa, a partir de março com fábricas fechadas, lojas fechadas e um clima de pessimismo como jamais se viu no País. De janeiro a maio as vendas no comércio varejista, segundo a pesquisa mensal do IBGE, haviam recuado 53,5% em relação a igual período de 2019.

Mas, passado o primeiro susto, o segundo veio em forma de euforia com os dados de vendas de móveis pelo e-commerce. Nunca havia se vendido tanto por meio digital. E de 6% até então, o comércio de móveis pela internet subiu para 10% do total comercializado por diferentes formas de varejo.

leia: MM ESTÁ NAS MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR NO VAREJO
leia: AÇÕES DA MOBLY TEM ALTA DE 25,7% NO PREGÃO DO PRIMEIRO DIA NA B3

A partir de junho os índices de volume de vendas de móveis registraram números jamais vistos na história da pesquisa do IBGE, como se vê no quadro abaixo. E, em relação a variação acumulada no ano, das 12 regiões pesquisadas, em cinco os índices foram superiores à média nacional, com destaque para São Paulo (21,4%), Bahia (18,4%) e Paraná (18,3%). E apenas dois estados registraram queda no ano, Ceará (-7,6%) e Espírito Santo (-6,0%).

Veja quadros da variação mensal e dos índices de dezembro e acumulado do ano no Brasil e em mais 12 regiões pesquisadas pelo IBGE:

 

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato