IMG-LOGO

Fabricantes de máquinas italianas comemoram um brilhante 2021

Por Natalia Concentino - 10 de Maio 2022 395 Views
maquinas_italianas_mm.jpg
Olhando para a situação atual, é possível afirmar que a crise Rússia-Ucrânia só causou uma redução limitada das exportações italianas até agora

O ano de 2021 foi realmente positivo. Essa tendência foi reafirmada pelo Escritório de Estudos da Acimall, associação de fabricantes italianos de tecnologia de madeira e móveis: a produção foi de 2.530 milhões de euros, um aumento de 36,9% em relação a 2020, ano que todos gostariam de esquecer por muitas razões, não apenas econômica, e aumento de 11,6% em relação a 2019.

 

Excelentes resultados também na exportação, atingindo 1.740 milhões de euros (mais 30,8% em relação a 2020; mais 10,1% em relação a 2019), com o mercado interno mostrando sinais de vivacidade (790 milhões de euros, aumento de 52,5% em relação a 2020 e 15,1% em relação a 2019).

 

A importação também aumentou, atingindo 244 milhões de euros, 59,4% a mais do que em 2020 e 21,4% a mais do que em 2019.

 

Segundo a tradição, impulsionada pela forte propensão à exportação de empresas italianas, a balança comercial também foi positiva, com valor de 1.496 milhão de euros (mais 27,1% em relação a 2020, mais 8,5% em relação a 2019). O consumo aparente também aumentou: 1.034 milhões de euros, aumento de 54,1% em relação a 2020 e de 16,5% em relação a 2019.

 

"Os números de 2021 falam por si, mostrando que a indústria de tecnologia emergiu de dois anos difíceis, voltando aos níveis pré-Covid", disse Dario Corbetta, diretor da Acimall. "Os incentivos estatais certamente desempenharam um papel fundamental, mas não "alteraram" a tendência do mercado: o crescimento que estamos vendo agora não é impulsionado apenas por incentivos (que basicamente causaram uma concentração de decisões de investimento em um prazo curto), mas também por um significativo rali de mercado, que trouxe os negócios de volta aos seus padrões normais de desenvolvimento". 

 

"Então, queremos tranquilizar aqueles que temem que a tendência atual seja ‘inflada’ pelos incentivos, e uma vez que essa janela de oportunidade tenha se fechado, teremos que enfrentar um período de demanda estagnada", continuou Corbetta. "Essa crença é apoiada pelos números econômicos dos primeiros meses de 2022, que indicam claramente uma expansão estrutural da nossa indústria, que vai durar".

 

LEIA: EuroCucina e FTK: soluções de ponta em exposição

 

Exportação italiana

 

Os números consolidados de 2021 permitem tirar mais conclusões sobre a exportação italiana, que aumentou em relação a 2020 e 2019. Olhando para a situação atual, é possível afirmar que a crise Rússia-Ucrânia só causou uma redução limitada das exportações italianas até agora. Rússia, Ucrânia e Bielorrússia representam juntos uma pequena parcela das exportações italianas, aproximadamente 5%, e os fluxos de exportação para esses países parecem continuar, embora com uma redução significativa. 

 

Olhando para os números de 2021, é possível desenhar um ranking de países com base em seu interesse em tecnologia de madeira e móveis made-in-Italy. A lista não surpreende, reafirmando a estabilidade das regiões onde a produção italiana é mais apreciada.

 

"Estamos agora ansiosos para Xylexpo no próximo mês de outubro, o que será uma grande oportunidade para verificar a saúde da nossa indústria e a tendência dos fluxos comerciais internacionais", concluiu Dario Corbetta.

 

Veja abaixo quadros sobre o desempenho das indústrias de máquinas para madeira e móveis italianas, com dados da Acimall.

 

Comentários