geracaozportal.png

Geração Z traz desafios para empresas do setor moveleiro

Nascida entre 1995 e 2010 a Geração Z começou a se inserir no mercado de trabalho nos últimos oito anos. Nesse tempo foi possível detectar a enorme diferença entre esses novos profissionais e aqueles que já estavam inseridos nas empresas.

Acostumada com a internet desde muito cedo, essa geração chegou para desafiar os ambientes de trabalho trazendo mais inovação, tecnologia, dinamismo e uma pitada extra de imediatismo. “A diversidade de gerações, pensamentos e experiências pode causar conflitos, mas se bem cuidada pode contribuir muito para a evolução das empresas” comenta Fernanda Tamietti, gerente de RH da Itatiaia.  

Conforme essa geração começou a se inserir no mercado, também passou a adentrar o setor moveleiro. Atualmente 25% do quadro de funcionários da Itatiaia faz parte dessa geração, enquanto na Kappesberg esse número é ainda maior, chegando a 33%.

No programa de planejamento de carreira aplicado ao quadro de funcionários da Kappesberg, a gerente de RH da empresa, Deise Stulp, observa que os colaboradores da geração Z são imediatistas, buscam resultados rápidos em tudo o que fazem e priorizam muito o crescimento pessoal.

LEIA: MV DE ABRIL ANALISA IMPACTOS DA PANDEMIA E O FUTURO DO SETOR

Esse imediatismo também foi analisado por Welder Siena, Coordenador de Educação e Negócio, da Gerência Executiva de Educação do Sistema Fiep. Ele observa que essa geração possui um maior anseio pela rápida aquisição de conhecimentos. Como exemplo, Siena cita que os alunos de cursos técnicos e graduação que possuem entre 18 e 25 anos tem apresentado uma maior tendência de recorrer aos cursos mais rápidos ofertados pela instituição. O coordenador explica que esse comportamento se deve ao fato de que essa geração já nasceu imersa na tecnologia, especialmente nos smartphones e, dessa forma, tem a característica de ser mais flexível e de conseguir absorver uma grande parte de informação de forma mais rápida.

Outro ponto que tem reforçado a diferença de postura da Geração Z em relação às gerações anteriores é a menor preocupação com o desenvolvimento de uma carreira no longo prazo. Enquanto os Baby Boomers e os Millenials foram marcados por passarem décadas trabalhando na mesma empresa, a Geração Z já não prioriza mais a construção de uma carreira. “Eles buscam novos aprendizados e desafios, mesmo que o salário possa ser menor”, afirma a gerente de RH da Kappesberg.

Por outro lado, essa geração se mostrou mais ligada ao empreendedorismo. Conforme mostra um estudo realizado pelo Sesi, 82% dos alunos que se enquadram no perfil da geração Z possuem interesse relacionado ao empreendedorismo.  O mesmo estudo foi aplicado em alunos com idade superior aos 26 anos e, neste caso, observou-se um interesse significativamente menor.

Para entender melhor o impacto da chegada desses novos profissionais ao mercado moveleiro, confira a matéria completa sobre os desafios que a geração Z trouxe para o setor na edição mais recente da revista. Clique aqui e acesse.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato