man-and-little-girl-on-bed-in-store.jpg

Preços de colchões disparam quase 37% entre janeiro e novembro

Se as promoções e liquidações ao longo do ano foram, em grande parte, responsáveis pela queda dos preços de móveis no varejo em 2020, um item do mobiliário que se mostrou absolutamente necessário para a qualidade de vida das pessoas em casa durante a pandemia foi o colchão. E a percepção de valor por parte do consumidor facilitou ao varejo repassar considerável parte do aumento de custos das matérias-primas que ocorreram em 2020. Segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a variação de preços de colchões no comércio em dezembro subiu 5,6%.

leia: PROMOÇÕES FAZEM PREÇO DOS MÓVEIS CAIR 3,2% NO COMÉRCIO

É importante notar que de janeiro a abril o preço de colchão no varejo recuou 5,8%, mas começou a recuperação a partir de maio até atingir o pico de 16,3% de alta em outubro. Com essa trajetória, mesmo em ano de grandes dificuldades e desafios para o setor colchoeiro, o índice de preços no varejo, segundo o IPCA do IBGE, acumulado durante os 12 meses de 2020 disparou 36,9%, com pico de 50,8% em Belo Horizonte.

Veja abaixo quadro da variação mensal de preços de colchão no acumulado do ano de 2020:

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato