furniture-details-close-up-installation-of-cabinet-glass-doors-close-up.jpg

Preços de móveis na indústria aumentaram 21% em 2020, diz IBGE

Pelo menos parte do aumento de custos dos insumos durante o ano passado foram repassados pela indústria, segundo a pesquisa do Índice de Preços ao Produtor (IPP).

De janeiro a dezembro a alta chegou a 21,16%, com muita variação ao longo do ano, desde queda de 0,23% em fevereiro até alta de 4,14% em setembro e que se consolidou acima de 3 pontos percentuais em outubro e novembro, reduzindo a alta para 1,54% no último mês do ano.

As principais matérias-primas utilizadas na indústria moveleira e de colchões variaram muito em 2020. Se mantiveram praticamente estáveis nos primeiros quatro meses do ano, mas a partir da retomada das indústrias no pós-pandemia, os aumentos se aceleraram, alguns em níveis considerados exagerados como vidro, papelão e aço.

leia: CUSTOS DOS INSUMOS PREOCUPAM MUITO AS INDÚSTRIAS DE COLCHÕES

É o caso das embalagens, em que algumas indústrias elevaram os preços em até 70%, justificando-se pela redução de oferta de aparas que acabou gerando aumento de preço em função do alto consumo.

O aço, outro importante componente para fabricação de colchões de mola subiu mais de 40%. E o vidro, também importante na fabricação de mesas, cristaleiras e outras peças de mobiliário, subiu até 50% em algumas regiões do País ano passado.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato