AraucoPien_(PR).jpg

Para a Arauco a escassez de painéis se deve à forte retomada

Os problemas de desabastecimento, alta de preços e possíveis privilégios às exportações por parte das indústrias de painéis geraram uma movimentação das entidades regionais, reivindicando apoio da Abimóvel para buscar soluções junto às empresas fornecedoras e até mesmo providências do governo federal. Na ocasião repercutimos a resposta da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), que representa a cadeia de base florestal.

Mas, além da posição da Ibá, baseada em informações genéricas, buscamos respostas em cada uma das indústrias fabricantes de painéis: Arauco, Berneck, Duratex, Eucatex, Fibraplac, Floraplac, Greenplac, Guararapes e Placas do Brasil.

Ao longo da última semana publicamos a resposta da Duratex e da Berneck. Agora você confere o posicionamento da Arauco, através de nota assinada pelo diretor comercial e marketing, Flávio Verardi:

Leia: Berneck discorda spbre alta nos preços e escassez de painéis
Leia: Duratex justifica alta dos preços e explica a escassez de painéis

“A pandemia trouxe mudanças de hábito de consumo. O que se notou foi um aumento expressivo na compra de itens para a casa devido à valorização dessa na quarentena, com a questão do home office, das pessoas mais tempo em seus lares e sem perspectiva de planejar ou gastar com viagens. O que percebemos é, mais do que uma falta de painéis, um aumento expressivo no consumo. Os moveleiros estão vendendo mais e a demanda se mostra acima da capacidade de abastecimento nesse momento.

Com a paralisação da produção durante os períodos críticos da pandemia, a empresa trabalhou principalmente com seus estoques. Quando os mercados voltaram, a tendência seria a volta gradual desses estoques, porém, a retomada foi muito mais forte do que o esperado. E a capacidade de resposta a essa demanda ficou prejudicada pela diminuição de produção. Produção perdida não se recupera.

Sobre as exportações, é uma demanda na agenda das empresas, uma necessidade para a indústria nacional se manter rentável, além de estar alinhada a práticas de integração mundial. Possivelmente uma ou outra fabricante pode estar exportando mais, não foi o nosso caso. Por causa do cenário, os mercados estavam ruins, retornando apenas agora.  

Vale ressaltar que durante esses períodos críticos, mesmo com a diminuição da produção, a Arauco seguiu comprometida com suas responsabilidades e honrando seus compromissos com clientes, funcionários, parceiros e mercado em geral".  

A reportagem completa sobre o tema PAINÉIS você lê na revista Móveis de Valor de agosto, a partir de segunda-feira, dia 25.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato