Montagem_bloco_e_fio_de_aco.jpg

Nova rodada de alta nos insumos impacta custos dos colchões

Embora nem todas as indústrias tenham conseguido repassar os custos de insumos e matérias-primas desde que começou a pandemia, já há informações no mercado sobre novas altas previstas para entrarem em vigor em junho. Entre os novos aumentos, está previsto elevação de 20% nos aditivos para espumas de poliuretano e até 15% no preço de fios de aço para molas.

Um dos principais fornecedores de surfactantes, aditivos de silicone e catalisadores faz questão de destacar, para ficar claro, que os aumentos serão efetivos para todas as remessas de produtos a partir de 1º de junho e que estes aumentos são adicionais a quaisquer outras sobretaxas ou aumentos implementados anteriormente.

leia: SELO DO INMETRO CONTINUA OBRIGATÓRIO EM TODOS OS COLCHÕES

No caso do fio de aço utilizado na produção de molas e molejos para colchões, com a alta prevista para junho, o aumento acumulado do ano já passa de 60%, em média. Neste caso, a justificativa é a mesma dos reajustes anteriores: “O reajuste se deve à soma de vários fatores — aumento dos preços no exterior (China, que serve de balizamento), câmbio do país na faixa de R$ 5,60 por dólar, preços das matérias-primas (dolarizadas), em patamar de alta e demanda firme no mercado nacional por bens fabricados com aço.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato