gestao.jpeg

Sua área financeira vê o 2º semestre como grandes gestores?

Gestores da área financeira de grandes companhias consultados por ajuda virtuais pela empresa de consultoria Accenture, disse ter superado os estágios iniciais da crise, mas ainda estão tentando entender a nova realidade econômica. Na maior parte, eles estão entrando no segundo semestre com algum nível de otimismo. Conforme a variação do país para o país e da indústria para a indústria, mas existem cinco temas comuns na forma como estão lidando com o presente e o futuro imediato:  

1 “Normal” não será mais como costumava ser. 

Ninguém sabe quando a pandemia vai acabar, mas fica claro que muitas empresas nunca voltarão à velha maneira de fazer as coisas. Algumas se recursos virtuais com pressão e descobriram que gostam dos novos arranjos. Eles podem nunca mais voltar a ter todos reunidos todos os dias em um escritório central. Estão a repensar a sua abordagem ao mercado imobiliário e, na verdade, ao próprio conceito de escritório. 

2 A globalização não pode ser uma boa ideia. 

Muitas empresas com sede em um país, mas operando de manufatura em outro país, estão examinando outras opções de abastecimento. Com o desenrolar da pandemia, obteve ganho de prêmio. Agora queiram exercer mais controle sobre onde e como fabricam seus produtos.

leia:  SÃO PAULO LIDERA RETOMADA DA VENDA DE MÓVEIS COM ALTA DE 41,5%
leia: DISPUTA PELO MERCADO CRIA UMA GUERRA DE FRETE NO E-COMMERCE

3 O planejamento de cenários é a chave para avançar o progresso. 

Na análise financeira, há mais variáveis ​​em jogo e um alto nível de volatilidade, parece ser uma condição permanente. As empresas precisam da capacidade, não apenas de desenvolver vários cenários em alta velocidade, mas também de desenvolver planos de ação detalhados para acompanhar cada cenário. Os gestores precisam fazer o teste de estresse dos balanços patrimoniais para cada cenário, mesmo para alguns que pareciam altamente improváveis ​​apenas um ano atrás. 

4 A inovação é mais importante do que nunca. 

As empresas precisam continuar experimentando e inovando. Mais e mais empresas estão reconhecendo o valor da inteligência artificial na análise de grandes quantidades de dados e trazendo insights que podem ser usados ​​para tudo, desde a previsão da demanda do consumidor até a identificação de novas fontes de suprimentos essenciais.

5 Gastar com sabedoria (em vez de liquidez) é o problema. 

A maioria das empresas pesquisadas não tem problemas de caixa e alguns gestores disseram que seus conselhos de administração pediram mais dinheiro emprestado. A questão chave é: o que fazer com o dinheiro. As empresas estão trabalhando muito para avaliar os investimentos potenciais, mas também estão usando novas tecnologias para avaliar e gerenciar os riscos associados a cada investimento.

E a sua área financeira já está ajustada para uma nova ordem econômica, preparada para conviver com a nova realidade do mercado, que deve flutuar ao sabor de novas ondas do coronavirus e de ações pontuais do poder público?

 

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato