21295202.jpg

Venda de móveis no varejo continua com tendência de alta

O volume de venda de móveis no varejo este ano registrou queda apenas em janeiro (-1,9%) na comparação com mesmo mês de 2020. Nesta base de comparação, em fevereiro a alta chegou a 2,6%, subindo para 17,5% em março, 89,4% em abril (já com pandemia e lojas fechadas no mesmo mês do ano passado) e, em maio, a alta alcança mais 34,2%.

Os dados mensais levam o acumulado dos primeiros cinco meses do ano ao patamar de 21,8% na comparação com igual período de 2020. A variação do índice de 10 meses é de 24,1%.

Por estados, a maior alta em maio ocorreu no Ceará, com 183,8%. Mas é importante lembrar que a base de comparação é extremamente baixa, já que em maio de 2020 houve queda de 69,9% no Estado. E houve três estados com queda nas vendas de móveis em maio. O Paraná registrou -9,6%; o Espírito Santo, -8,6% e Santa Catarina, com -3,9%.

No acumulado do ano o recorde pertence ao Estado de Minas Gerais, com 48,6%, seguido pela Bahia, com 35,6% e Rio de Janeiro, logo abaixo, com 34,5%. Apenas Espírito Santo registra queda no acumulado no ano (-7,0%), enquanto Pernambuco tem a menor variação positiva, com 2,8%.

leia: “ENTREGA MAIS RÁPIDA DO BRASIL”? CONAR DUVIDA DE 3 VAREJISTAS

A variação do volume de venda de móveis no varejo acumulada em 12 meses registra a maior alta na Bahia, com 39,8%, seguida pelo Rio de Janeiro, com 34,5%.

Graças aos aumentos de preços verificados a partir do segundo semestre do ano passado, em receita nominal, o varejo apresentou alta de 46,5% em junho, 26,3% no acumulado deste ano e de 21,3% no índice de 12 meses.

Veja abaixo quadro completo da variação do volume de venda de móveis em julho, no acumulado do ano e a variação dos últimos 12 meses, segundo a pesquisa mensal do IBGE:

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato