Exemplos malsucedidos dificultam novas incorporações entre moveleiras

Frequentemente me perguntam por que não acontecem fusões ou incorporações nas indústrias moveleiras? A pergunta é pertinente porque na última década, a reestruturação societária tornou-se muito comum no país. A corrida pelo lucro, maior competitividade e busca pela liderança de mercado propiciam cada vez mais que as companhias se unam para alcançar esses objetivos.

Mas, de fato, não se vê nenhum movimento neste sentido no setor moveleiro. Porém, no passado já ocorreram algumas incorporações que acabaram por não alcançar os objetivos que imaginavam os incorporadores. Em Bento Gonçalves, na década de 1970, Barzenski e Pozza, as duas maiores do polo, incorporaram empresas menores. A Barzenski acabou falindo e a Pozza definhou e hoje é uma indústria, beirando os 60 anos, que tenta se reinventar. Provavelmente estes exemplos de negócios malsucedidos tenha afastado por algum tempo a ideia de novas tentativas no setor. 

Em 2007 aconteceu a maior incorporação em Bento Gonçalves: a Todeschini adquiriu a Carraro. Neste caso havia sinergia e a empresa incorporada adicionou novos produtos aos negócios da incorporadora.

Veja o comentário completo no vídeo acima:

 

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato