Rogerio_Francio_-_gestao_2020-2021.jpg

Presidente da Movergs prega união para fortalecer o setor

2020, que ano hein?!

Ao final de 2019 acreditávamos que esse seria o momento da retomada, que o setor moveleiro conseguiria recuperar os últimos cinco anos de muita dificuldade. Porém, não imaginávamos que ainda seríamos assolados por um inimigo invisível, atordoando a todos, não apenas no Rio Grande do Sul, não apenas no Brasil, mas no mundo todo.

Por não entendermos o real problema de uma pandemia, pagamos caro por tudo isso e o setor moveleiro gaúcho registrou queda média no faturamento de 30% apenas nos meses de março e abril, com algumas empresas chegando a mais de 80% de queda.

No entanto, a partir do momento que começamos a conviver e entender essa nova normalidade, imediatamente nos adaptamos e já em maio, com o retorno das atividades, registramos alta na produção de móveis no Estado, que acabou se repetindo nos demais meses.

Os bons números também foram registrados em relação ao mercado internacional, que em razão do câmbio favorável, permitiu ganhos de margens para amenizar parte das perdas ocorridas no semestre.

Estamos longe do que gostaríamos para 2020, mas, aos poucos e com muito trabalho, estamos nos reerguendo, sabendo que ainda há um longo caminho para trilhar em busca do ideal.

2020 não é um ano perdido como muitos estão lamentando, mas um ano de superação.

E quem afirmar que não aprendeu com a pandemia está iludido. Esse grande surto fez com que os consumidores olhassem mais para dentro de suas casas, percebessem necessidades de proporcionar maior bem-estar à família, o que gerou aumento na demanda por móveis e, quem diria, despertou o mercado online como uma nova e forte possibilidade de vendas.

leia: produção sobe 16,6% em julho apesar da escassez de insumos

2020 tem nos mostrado que se os negócios continuarem a fazer as mesmas coisas estarão fadados a fechar, se fizerem mais do mesmo terão uma curta sobrevida.

A pandemia mostra que apenas estarão mundialmente conectados os negócios que focarem na inovação, na informação e na capacitação profissional e tecnológica.

Aprender com o inusitado pode render competências que não estávamos habituados. As oportunidades estão aí.

Estamos construindo com sofrimento um novo momento para o setor moveleiro para 2021.

Peter Drucker, considerado o pai da gestão moderna já dizia: “Existe o risco que você não pode jamais correr e existe o risco que você não pode deixar de correr”. É, realmente, 2020 não foi um ano perdido, comprovamos que é fundamental estarmos preparados para crises, mas, principalmente, abertos para novas oportunidades.

Aprendermos cada vez mais a conjugar o verbo ‘unir’, o que nos mostra também o quanto é imprescindível uma cadeia produtiva moveleira forte, integrada, desenvolvida, sem individualismos. E para sermos uma entidade forte, precisamos de empresas fortes, empresários abertos ao diálogo e colaboradores felizes.

Orgulhemo-nos da pujança do setor moveleiro e sua projeção internacional. Somos 2,6 mil empresas no RS, que geram 40 mil empregos diretos, representamos mais de 13% das indústrias no Brasil e 25% do faturamento do setor moveleiro nacional.

Somos o segundo principal mercado exportador de móveis do Brasil, temos levado ao mundo não apenas a beleza e a qualidade do móvel gaúcho, mas propagado aos cinco continentes a garra do povo brasileiro.

UNIR PARA FORTALECER – RENOVAR PARA CRESCER!

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato