Quem vende descontos não pode oferecer produtos de qualidade

Às vezes subestimamos nossa capacidade, nossa força... Outras vezes é mais fácil justificar nossas fraquezas, terceirizando a culpa: eu faço certo, mas meu concorrente não faz. Ou então, como unificar o pensamento em um universo tão heterogêneo, formado por quase 20 mil empresários com pensamentos diferentes?

E, na dúvida durante uma negociação, por que não dar o desconto que o cliente pede? É força do hábito pedir e é a cultura ceder. Mas, será que alguém nessa negociação ficou satisfeito? Será que o desconto não vai fazer com que se desenvolva cada vez móveis com menos qualidade pra conseguir vender por 99, 199, 299?

É difícil pensar e agir como a Duratex?

Como já se tornou comum, muitos comentários ocorreram em relação ao Cá entre nós da Semana passada. Mas um deles me chamou mais a atenção, provavelmente por se tratar de um lojista – e não é um lojista qualquer não – é pequeno, mas seu modelo de negócio se tornou case de marketing inclusive na Espanha...

Veja: SE VOCÊ QUER TER LUCRO NA SUA EMPRESA PENSE E AJA COMO A DURATEX

Veja o que Iris Gelbcke comentou: “Há anos o mercado moveleiro vem "criando" situações desconfortáveis para toda a cadeia varejista do ramo... No momento em que a base da produção tem seu foco no preço, inviabiliza a construção de lucro, pois, uma TV de 60", de R$ 5.000,00, suspensa num painel ou sobre uma bancada de R$ 399, deixa claro que o retorno, ou lucro auferido na comercialização do produto de madeira, não nos deixa margem para entrega, para uma possível assistência, quem sabe encantar o cliente com um brinde ou com a instalação gratuita deste painel...

Corroboro com sua visão de que não é um sonho (utopia) querermos lucrar com a venda de móveis, mas, o que temos é uma falta de organização, uma falta de norte, falta até de união, (que causa uma distopia / um desarranjo) do setor, tão forte e tão desunido como é o setor moveleiro... E, parafraseando, "Cá entre nós: "É muito difícil vender qualidade com produtos de valor muito baixo".

Coincidência?

Será que precisamos de um puxão de orelhas dos próprios lojistas para mudarmos a forma de pensar e agir? Como disse, é um lojista pequeno, mas os pequenos lojistas de móveis no Brasil, com quase 60 mil pontos de venda, representam mais de 70% do mercado e estes, sim, estão dispostos a vender mais benefícios, mais qualidade para seus clientes.

Então, hoje eu vou parafrasear o lojista citado aqui. Cá entre nós: É muito difícil vender qualidade com produtos de valor muito baixo e, com produtos de baixa qualidade, é ainda mais difícil fazer com que ele volte para comprar outros móveis.

Esta notícia é sobre a sua empresa? se cadastre e deixe seu contato